Olá! Quer uma ajudinha para descobrir sua faculdade ideal?

Fale com a gente

Como funciona
  1. Busque sua vaga

    Compare preços e escolha a vaga que cabe no seu bolso.


  2. Garanta sua vaga

    Pague a adesão para garantir sua vaga.


  3. Estude pagando menos

    Aí é só fazer o processo seletivo e a matrícula na faculdade.


Carreiras

Entenda como como colocar experiência informal no currículo

14 de novembro de 2022
Imagem do autor
Escrito porLucas Loconte

Como colocar experiência informal no currículo? Essa é uma dúvida bem comum de quem está montando seu currículo profissional. Afinal, aqui no Brasil mais de 39 milhões de pessoas estão trabalhando na informalidade, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), apurada pelo Instituto Brasileiro de Economia e Estatística (IBGE) em agosto deste ano.

Encontre bolsas de estudo de até 80%
+ Quer saber se EaD é para você? Faça nosso Teste Vocacional!

Para ingressar em um emprego ou conquistar aquele cargo tão almejado, sabemos que a experiência é fundamental. Vindo a se tornar cada vez mais uma realidade no mercado de trabalho, a experiência informal é uma fração importante da trajetória profissional de milhões de brasileiros, de forma que as ignorar no currículo é apagar uma parcela de suas histórias.

Leia mais:
+ Como se destacar no mercado de trabalho? Veja 5 dicas


O que é experiência profissional?

A experiência profissional é o conjunto de vivências que alguém teve exercendo determinado trabalho ou função. No currículo, há um campo especialmente destinado para ela, onde se preenche a empresa, cargo, período e atividades que foram desenvolvidas. São dois tipos de experiências, a formal e a informal:

Formal

A experiência formal é aquela que teve vínculo empregatício baseado e protegido pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) com carteira assinada. O trabalho formal é a forma mais comum de atuação dos profissionais no país e proporciona aos empregados inúmeros direitos garantidos por lei, como férias e 13º salário.

Informal

A experiência informal é aquela em que os profissionais exercem suas atividades sem registro em carteira. Por esta razão, eles acabam perdendo os benefícios trabalhistas garantidos por lei, como para além dos já citados acima: licença maternidade, aposentadoria e seguro desemprego.

O trabalho informal é interessante para os profissionais que buscam uma rotina flexível e gostam de trabalhar no seu próprio ritmo. Em compensação, quem faz este tipo de trabalho vive na corda bamba, pois sem vínculo que garanta um salário mensal, pode enfrentar instabilidade financeiras.

São exemplos de profissionais informais: camelôs, feirantes, vendedores ambulantes, motoristas de aplicativo, panfleteiros, profissionais da construção civil, além dos freelancers e autônomos, etc.

Leia também:
+8 coisas que você precisa saber para trabalhar como freelancer


É permitido incluir trabalho informal no currículo?

Sim, a experiência informal no currículo, além de ser interessante para incrementá-lo, pode ser entendida como um plus para os recrutadores. A preocupação dos recrutadores é quanto à capacidade que o candidato tem para ocupar determinado cargo.

Para alguns deles, as experiências adquiridas com o trabalho informal são mais importantes do que o registro na carteira. No entanto, a ênfase à experiência informal deve ser feita, quando ela agrega a vaga para qual se candidata.

Ao ser convocado para a entrevista, o candidato poderá elucidar pessoalmente ao recrutador como se deu a experiência informal e a razão de não haver registro em carteira, ou mesmo se foi um trabalho autônomo.

Quando incluir trabalho informal no currículo?

É pertinente incluir a experiência informal no currículo quando é relevante para a vaga pela qual está se candidatando. O trabalho informal diz muito sobre o perfil ativo do profissional que, apesar das dificuldades de inserção no mercado de trabalho, não ficou parado frente às adversidades.

O candidato deve levar em conta alguns requisitos antes de incluir esta experiência, como, por exemplo, considerar a quantidade de tempo que ficou neste trabalho. Para serem bem vistas pelos recrutadores, a experiência informal precisa ter alguma duração e constância.

Outra coisa é, a experiência informal em uma grande empresa pode ecoar como prática de mercado e ser prejudicial para o candidato. Além disso, caso o candidato tenha ficado muito tempo longe da área que concerne a vaga para qual está se candidatando, é conveniente avaliar se vale a pena colocar as experiências informais ocorridas neste interstício.

Por exemplo, um advogado que passou anos fora do país e volta ao Brasil com a pretensão de advogar, ou um publicitário que, na falta de oportunidades, fez bicos como garçom. Nos dois casos, para alguns recrutadores, o candidato pode ser visto como enferrujado para  voltar a ocupar sua área de formação.

Como colocar experiência informal no currículo?

É simples, a experiência informal, assim como as experiências advindas do trabalho formal segue um mesmo padrão e deve ser inserida no campo “Experiências Profissionais” do currículo. Entenda como as experiências informais devem ser colocadas:

Informe o nome da empresa

No primeiro tópico, o profissional deve informar o nome da empresa pela qual trabalhou, caso a experiência seja informal ou a empresa desconhecida, deve-se colocar no currículo “profissional autônomo/freelancer” e seu segmento.

Indique o serviço prestado

É importante que o candidato indique qual serviço foi prestado, afinal, ele pode ter oferecido serviço de consultoria, designer, ou programação e desenvolvimento, quando sua área for informática, etc.

Informe a data de conclusão

O profissional deve indicar por quanto tempo ele prestou o serviço, com data de início e término.

Descreva as atividades prestadas

Além de indicar o serviço, aqui é preciso que o profissional seja específico quanto às atividades que foram prestadas.

Forneça uma referência

Principalmente na experiência informal, é de bom-tom fornecer ao menos uma referência para que o recrutador possa fazer a conferência dos dados apresentados.

Exemplos

2020 – 2022

Babá Freelancer

Principais atividades: Durante o período, cuidei de crianças de várias idades preparando mamadeiras e dando banho em bebês, do mesmo modo que cuidava da alimentação de crianças mais velhas e supervisionava seus banhos; lavei a louça das crianças após as refeições; cuidei da roupa infantil; organizei brincadeiras/brinquedos e passeios; levei as crianças para a escola.

Referências: Rosineide Fernandes – (99) 9 9999-999 / Maria José Alves – (98) 7 6543 – 2109.

2019 – 2021

Pedreiro Autônomo

Principais atividades: Durante o período, auxiliei na construção de quatro casas e três prédios assentando tijolos, ladrilhas e alvenaria; construindo alicerces; levantando paredes e muros; rebocando estruturas; etc.

Referência: Marcelino Costa – (99) 9 9999-999.

Como turbinar o currículo?

Existem várias maneiras de turbinar seu currículo, que tal investir em um curso de curta duração? Desde que tenha relação com a área que está buscando trabalho, é algo bem visto pelos recrutadores, assim como o trabalho voluntário, que pode ser feito em ONGs de sua cidade e o conhecimento de um novo idioma. 

Além disso, você pode buscar uma faculdade para dar aquela turbinada no currículo. Abaixo, te apresentamos excelentes faculdades reconhecidas pelo MEC que contam com cursos que vão auxiliá-lo nesta missão. São instituições que têm peso no mercado de trabalho e te levará ao emprego dos sonhos:

Veja também:
+ O que são hard skills? Entenda o termo e veja quais são destaque no mercado

Os mais lidos
Áreas da Tecnologia: veja as habilidades mais promissoras!

Áreas da Tecnologia: veja as habilidades mais promissoras!

Por Lucas Loconte em 27/01/2023
Júnior, pleno e sênior: entenda a diferença entre os cargos

Júnior, pleno e sênior: entenda a diferença entre os cargos

Por Amanda Nonato em 06/01/2023
Vale a pena fazer segunda graduação? Veja as possibilidades

Vale a pena fazer segunda graduação? Veja as possibilidades

Por Amanda Nonato em 26/09/2022
O que não fazer no EaD? 5 dicas para o ensino a distância

O que não fazer no EaD? 5 dicas para o ensino a distância

Por Amanda Nonato em 14/09/2022

Estude nas melhores sem sair de casa

As melhores faculdades com ofertas super especiais para você começar a estudar sem sair de casa.