Pular para o conteúdo Pular para a barra lateral do Vá para o rodapé

Saiba tudo sobre a pós-graduação em Economia e Finanças

A pós-graduação em Economia e Finanças é uma modalidade de especialização para quem pretende se aprofundar nas teorias que contemplam o funcionamento de mercados nacionais e internacionais e seus impactos nas sociedades.

Ela é uma opção de próximo passo nos estudos de quem já realizou um curso de bacharelado e agora quer adquirir ainda mais conhecimento se tornando um especialista sobre a área.

Encontre bolsas de estudo de até 80%

O mercado de trabalho tem valorizado cada vez mais profissionais que estejam sempre dispostos a aprender, se tornando verdadeiros peritos no que fazem.

Conheça mais a fundo a pós-graduação em Economia e Finanças, a grade curricular e informações gerais sobre o curso, além de uma perspectiva sobre a atuação de trabalho de um economista.

Como é a pós-graduação em Economia e Finanças?

O curso oferece a possibilidade de aprender as teorias econômicas e fórmulas matemáticas que compõem as análises da área, além de um panorama completo do histórico brasileiro na economia.

Além disso, o profissional poderá realizar pesquisas para entender o mercado de forma prática e buscar soluções para os problemas encontrados a partir de seus embasamentos teóricos adquiridos.

São várias as possibilidades de investigação que podem ser levantadas em pesquisa, como políticas públicas, comércio nacional e internacional, moedas do mundo, distribuição de renda, relações de trabalho e pobreza, por exemplo.

A pós-graduação é uma maneira de entrar a fundo no mundo da economia para que o especialista esteja habilitado a contribuir em decisões e estratégias que podem mudar o futuro de sociedades e países.

O que é estudado na pós-graduação em Economia e Finanças?

A grade curricular também é variável e sempre estará disponível para consulta em qualquer unidade de ensino ao buscar maiores informações antes de se inscrever no curso.

Apesar disso, é possível que o aluno se depare com alguns temas relacionados à área, como por exemplo:

  • Micro e macroeconomia;
  • Estatística;
  • Economia e finanças públicas;
  • Tributação;
  • Mercado e economias locais e internacionais;
  • História da economia;
  • Econometria;
  • Teorias matemáticas;
  • Tributação;
  • Desenvolvimento econômico;
  • Contabilidade;
  • Controladoria e auditoria;
  • Gestão de riscos;
  • Investimentos;

Quem pode fazer a pós-graduação em Economia e Finanças?

Qualquer pessoa que tenha um diploma de graduação, independentemente da formação, pode cursar a pós-graduação em Economia e Finanças.

A especialização pode ser uma nova possibilidade de conhecimento, mas é muito comum que profissionais de ciências contábeis, administração, por exemplo, busquem esse curso como um complemento de estudos já realizados no bacharelado ou licenciatura.

Por isso, o curso é indicado a quem possui afinidade com exatas e cálculos matemáticos, além de gostar de compreender teorias sociais, filosóficas e políticas.

Qual a duração do curso?

A carga horária de estudos da pós-graduação normalmente varia nas instituições de acordo com cada proposta.

Mas, de acordo com o Ministério da Educação, elas devem ter pelo menos 360 horas de conteúdos a serem cumpridos, que podem ser distribuídos em 6 meses, 1 ano ou 2 anos de duração.

Em que um especialista em Economia pode atuar?

O Conselho Regional de Economia (Corecon) detalhou na Consolidação da Regulamentação da Profissão do Economista todas as formas de atuação em que o profissional está habilitado após fazer a pós-graduação em Economia e Finanças:

  • Assessoria, consultoria e pesquisa econômico-financeira;
  • Estudos de mercado e de viabilidade econômico-financeira:
  • Análise e elaboração de cenários econômicos, planejamento estratégico nas áreas social, econômica e financeira;
  • Estudo e análise de mercado financeiro e de capitais e derivativos;
  • Estudo de viabilidade e de mercado relacionado à economia da tecnologia, do conhecimento e da informação, da cultura e do turismo;
  • Produção e análise de informações estatísticas de natureza econômica e financeira, incluindo contas nacionais e índices de preços;
  • Planejamento, formulação, implementação, acompanhamento e avaliação econômico-financeira de política tributária e finanças públicas;
  • Assessoria, consultoria, formulação, análise e implementação de política econômica, fiscal, monetária, cambial e creditícia.
  • Planejamento, formulação, implementação, acompanhamento e avaliação de planos, programas, projetos de natureza econômico-financeira;
  • Avaliação patrimonial econômico-financeira de empresas e avaliação econômica de bens intangíveis;
  • Análise financeira de investimentos;
  • Estudo e análise para elaboração de orçamentos públicos e privados e avaliação de seus resultados;
  • Estudos de mercado, de viabilidade e de impacto econômico-social relacionados ao meio ambiente, à ecologia, ao desenvolvimento sustentável e aos recursos naturais;
  • Formulação, análise e implementação de estratégias empresariais e concorrenciais;
  • Economia e finanças internacionais, relações econômicas internacionais, aduanas e comércio exterior;
  • Certificação de renda de pessoas físicas e jurídicas e consultoria em finanças pessoais;
  • Regulação de serviços públicos e defesa da concorrência;
  • Estudos e cálculos atuariais nos âmbitos previdenciário e de seguros.

Essas aplicações, segundo o Corecon, podem ser exercidas tanto na órbita pública, quanto privada em entidades que tenham relação com economias regionais e nacionais, podendo o profissional auxiliar na orientação para resolver questões políticas, monetárias, fiscais, comerciais e sociais.

Saiba tudo sobre a pós-graduação em Economia e Finanças EAD

Além disso, é possível contribuir em unidades econômicas que envolvam a temática no âmbito profissional por meio de características de organização e racionalização do trabalho.

Outras atuações possíveis do economista são a de auditoria interna e externa, detalhando os processos e atividades de empresas principalmente no que se diz respeito ao fiscal e contábil; e de perícias judiciais e extrajudiciais também relacionadas a aspectos econômicos.

Para atuar como economista é preciso ter registro?

Sim. Além de ter alguma formação de graduação ou pós-graduação, o profissional que queira exercer a função de economista deve, de acordo com o regulamento próprio, estar registrado no Corecon de sua região.

Para isso, depois de concluídos os estudos, basta procurar o conselho regional pertinente e apresentar os documentos solicitados para emitir a carteira de identidade profissional de economista e ficar legalmente habilitado a atuar na área. 

É importante destacar que esse vínculo gera uma cobrança de anuidade. O valor é definido para cada localidade e pode ser consultado antes de realizar o registro.

Quanto ganha um especialista em Economia?

De acordo com o site VAGAS.COM, um economista no Brasil pode começar a carreira no mercado de trabalho com um salário médio de R$3.800,00.

Apesar da classe não possuir um piso salarial, a média de honorários de forma geral é de R$6.000,00 e pode chegar até R$40.000,00 em algumas situações, levando em consideração o porte da empresa, o nível de experiência e se é um cargo de gestão.

É possível fazer pós-graduação em Economia e Finanças à distância?

Principalmente após o início da pandemia, existem atualmente diversas opções de especialização que podem ser feitas de forma online e à distância.

Algumas podem exigir que certas disciplinas sejam realizadas de forma presencial, apesar de ser um curso com enfoque mais teórico.

Se busca realizar a pós-graduação na modalidade EAD, procure se informar sobre a realização das disciplinas na universidade em que deseja cursar.

Saiba onde cursar Economia com condições especiais!

Se você chegou até aqui e se convenceu de que a pós-graduação em Economia e Finanças é para você, é hora de se planejar!

Essa especialização só pode ser realizada após a conclusão de um bacharelado ou licenciatura, mas, mesmo antes de finalizar o curso, você já pode buscar opções para começar assim que estiver com o diploma em mãos.

E esse passo é um grande avanço em sua carreira, já que pode possibilitar grandes caminhos profissionais com o nível de profundidade de estudos proporcionado pela pós.

Por isso, busque por instituições válidas e que tenham registro no Ministério da Educação para que sua formação tenha todo o embasamento e as diretrizes necessárias para a atuação na profissão.

Selecionamos algumas universidades parceiras que possuem diversos cursos, inclusive de pós-graduação.

Nelas, você pode ingressar com sua nota do Enem pelo Prouni ou pelo Sisu, além de aproveitar os programas de bolsas ou descontos em mensalidades.

Aproveite e traga seu futuro para mais perto de você:

Leia mais: Veja como é e onde fazer faculdade de Economia a distância 

Mostrar ComentáriosFechar Comentários

Deixe um comentário

Descubra a faculdade certa para você!