dcsimg

Perfil do aluno de ensino a distância é diferente do aluno do ensino presencial

(0.0 de 0)

Entenda as diferenças de cada modalidade de ensino e por que o EAD está mudando nosso jeito de aprender!

Perfil do aluno de ensino a distância é diferente do aluno do ensino presencial

O ensino a distância definitivamente está conquistando o coração dos brasileiros. Com um modelo de estudo flexível e mensalidades mais em conta, em pouco tempo virou a modalidade preferida de mais de 1,3 milhão de estudantes pelo País.

Fazer um curso superior de qualquer lugar, apenas por meio de um computador e uma conexão à internet, mexe com o nosso jeito de aprender. É um formato inteiramente novo, que desafia o padrão que conhecemos há séculos.

É comum, portanto, se deparar com uma questão: será que o aluno de cursos a distância tem realmente um perfil diferente daquele que faz uma graduação presencial?

A resposta você vê agora!

 

Diferença entre alunos de EAD e presencial

A diferença primordial entre os alunos de cursos EAD e presenciais é a forma de lidar com o aprendizado.

Pelo próprio modelo do ensino a distância, o estudante é estimulado a ter uma postura mais ativa diante do conhecimento. Sem horário fixo de aula e sem a figura do professor presente o tempo todo, ele tem que “correr atrás” do conteúdo e assumir uma atitude mais participativa.

Já no presencial, o ritmo é outro. Com horários estabelecidos e professores em sala, há um modelo diferente de interação e de troca de conhecimento. Nem todos os alunos interagem em sala. O conteúdo transmitido ali não fica completamente registrado e, exceto pelos cadernos e livros, o estudante não tem como acessá-lo mais tarde, caso precise.

Cada modelo tem suas vantagens, na verdade. Entenda um pouco melhor a diferença de perfil entre os dois alunos:

No EAD, o aluno:

  • Não está sozinho – o aluno tem, durante maior parte do tempo, apenas um contato virtual com professores, tutores e colegas. Para isso, precisa interagir usando ferramentas de comunicação como chats, fóruns e mensagens diretas. Sem interatividade, a qualidade do aprendizado cai e o aluno EAD sabe disso. Mesmo quem é mais tímido encontra nessas ferramentas uma maneira mais tranquila de se expressar.
  • Tem outra relação com o professor – o aluno EAD enxerga o professor como orientador de conteúdos. Ele é muito mais o sujeito que facilita o conhecimento do que o portador dele.
  • Aprende a se planejar – planejamento é o segredo para um bom aproveitamento no EAD. Com flexibilidade de tempo, o estudante precisa saber quanto tempo irá dedicar, por dia, a cada atividade. Sem isso, seu desempenho pode deixar a desejar.
  • É proativo – para não ficar para trás na turma, o aluno EAD precisa ter uma postura mais proativa diante das disciplinas e da turma. Ele é estimulado o tempo todo a desenvolver sua autonomia diante do aprendizado.
  • Está presente virtualmente – o aluno EAD é, em geral, um aluno virtualmente presente. Isso porque ele tem um tempo de interação ilimitado com outros alunos, tutores e professores. Ou seja: pode expor suas dúvidas a qualquer hora do dia ou da noite, falar com colegas ou recuperar conversas mais antigas a qualquer momento.
  • Está mais acostumado a utilizar recursos tecnológicos – isso pode ser um grande diferencial para o futuro profissional. Quem lida melhor com tecnologia tem mais chances no mercado de trabalho.
  • Aprende a lidar com a diversidade – nos cursos a distância, há uma mistura maior de pessoas de diferentes regiões, idades e culturas. Também atrai uma diversidade maior de pessoas com diferentes formações e qualificações profissionais.

No presencial, o aluno:

  • É mais visual e verbal – Com a figura do professor presente em sala, ele precisa dedicar toda a atenção a capturar o conteúdo no momento da aula.
  • Tem mais convivência com pessoas – com uma troca maior de experiências, o aluno do modelo presencial pode ter mais “histórias para contar” que o de EAD. A convivência física diária com outros alunos permite a criação de laços mais fortes entre as pessoas, o que pode ter um papel decisivo no processo de aprendizagem.
  • É mais dependente da estrutura – no modelo clássico, o aluno presencial depende inteiramente do professor, da estrutura curricular e da infraestrutura da faculdade para aprender o conteúdo. Sem qualquer uma dessas partes, o processo fica prejudicado.
  • Tem a comunicação mais limitada – não que os alunos de cursos presenciais não possam se comunicar ou utilizar ferramentas para isso. É que, diante do aluno EAD, há um leque menor de opções para trocar informações entre alunos, tutores e professores. No presencial a comunicação depende mais da presença física. No EAD é a qualquer hora, em qualquer lugar.
  • Faz parte de uma turma mais homogênea – geralmente as turmas presenciais têm alunos de idades parecidas, que vêm de locais próximos, com uma bagagem cultural similar. No EAD as turmas tendem a ser mais diversas, com pessoas de diferentes regiões do País e formações distintas.

 

Por que EAD é tão legal?

Podemos listar alguns bons motivos que fizeram o EAD crescer tanto junto ao público brasileiro.

O primeiro deles – e o mais valorizado – é a flexibilidade de tempo para estudar. Podendo encaixar os estudos na rotina (e não contrário), o aluno EAD pode aproveitar melhor seu tempo e conciliar o dia a dia de emprego, cuidados com a casa, filhos, etc.

Esse é um diferencial e tanto para quem tem uma vida atribulada e não pode abrir mão do emprego para fazer um curso superior.

O segundo é a economia. Com mensalidades normalmente mais baratas que as dos cursos presenciais, fazer um curso a distância ainda traz a vantagem de poupar um bom dinheiro com deslocamentos diários até a faculdade. Sem falar na economia de tempo que isso representa.

É possível fazer um curso a distância pagando a partir de R$ 150. O valor médio das mensalidades é de R$ 260 – ainda assim bem mais barato que o presencial.

E as vantagens do ensino a distância não param por aí. Conheça algumas outras:

  • O diploma de um curso EAD vale tanto quanto o de um curso presencial. Com ele, você pode tentar ocupar cargos que exigem maior qualificação, concorrer a concursos públicos de nível superior e entrar em pós-graduações. Importante mesmo é garantir que a instituição de ensino seja credenciada (e autorizada) pelo Ministério da Educação (MEC).
  • É fácil acessar todos os conteúdos das aulas, de qualquer lugar com conexão à internet. Vídeo-aulas, apostilas, fóruns, chats, interações com tutores e professores – tudo está à mão 24 horas por dia.
  • Provavelmente existe algum polo de apoio presencial próximo à sua casa. São mais de 3 mil espalhados por todas as regiões do País!
  • Há uma grande variedade de cursos de bacharelado, licenciatura e de formação tecnológica. Você consegue encontrar graduações em Educação Física, Pedagogia, Engenharia, Física, Matemática, Economia, Ciências Contábeis, Sociologia, Serviço Social, Marketing, Gestão Ambiental, Recursos Humanos, Logística e muito mais!

 

EAD é a modalidade que mais cresce no Brasil

Com um crescimento que chega a ser três vezes maior que o do modelo presencial, o EAD está se popularizando em todo o Brasil – principalmente nas regiões mais distantes do País.

Os alunos de cursos a distância já são 17,1% de todos os matriculados nas redes particulares e públicas de ensino superior.

Isso representa um total de 1,34 milhão de estudantes!

Para se ter uma ideia, em 2003, com 92 mil estudantes, o EAD tinha uma participação de 2,3% de todas as matrículas feitas em cursos superiores no País. Hoje, esse percentual é oito vezes maior. A oferta de cursos também teve um crescimento impressionante. Passou de 52, em 2003, para 1.365 hoje.

Veja a quantidade de cursos EAD disponíveis hoje, por área do conhecimento:

  • Educação (Pedagogia e Licenciaturas): 592
  • Ciências Sociais, Negócios e Direito (Administração, Ciências Políticas, Relações Internacionais, Economia, etc.) : 549
  • Serviços (Gastronomia, Hotelaria, Gestão Ambiental, etc.): 61
  • Ciências, Matemática e Computação (Banco de Dados, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Matemática, etc.): 57
  • Engenharia, Produção e Construção (Engenharia Civil, Sanitária, Mecânica, Produção Industrial, etc.): 42
  • Saúde e Bem-Estar Social (Enfermagem, Educação Física, Serviço Social, etc.): 30
  • Artes e Humanidades (Design, Filosofia, Teologia, Produção Multimídia, etc.): 23
  • Agricultura e Veterinária (Agroecologia, Agronegócio): 11

             

Onde estudar

Confira algumas instituições autorizadas pelo MEC a oferecer cursos a distância:

Universidades Privadas:

Universidades Públicas:

Veja também:

Confira o crescimento do Ensino a Distância no Brasil 

Como você prefere estudar, presencialmente ou a distância? Fale para a gente nos comentários!

Deixe seu comentário:

Versão para impressão Informar erro

-

Novidades sobre EAD

Cadastre-se para receber nossa newsletter e acompanhe as últimas notícias sobre EAD: