dcsimg

Mulheres são maioria no ensino a distância

(0.0 de 0)

Entenda porque tantas mulheres aderiram ao EAD, o modelo de ensino que mais cresce no Brasil!

Mulheres são maioria no ensino a distância

Você sabia que quase 70% de todos os alunos de cursos a distância são mulheres? Pois é, aos poucos elas foram adotando essa modalidade de ensino e hoje praticamente dominam o território!

O grande diferencial do ensino a distância é poder conciliar melhor a faculdade com as tarefas do dia a dia. Com ele, o aluno pode escolher o horário mais conveniente para estudar e desenvolver as tarefas de acordo com a sua rotina.

É a modalidade que mais cresce no Brasil, superando o modelo tradicional em aumento de novas matrículas.

Entenda porque tantas mulheres aderiram ao EAD e como você também pode fazer um curso a distância!

 

Mulheres no ensino a distância

Um estudo realizado pela Educa Insights revelou a forte participação das mulheres no ensino a distância no Brasil.

Ao todo, 67% de todos os estudantes de EAD são mulheres! Os homens correspondem aos 33% restantes. Para se ter uma ideia mais clara, podemos dizer que elas representam mais do dobro da quantidade de homens presentes em cursos a distância.

Do total de estudantes de EAD, quase metade (41%) tem entre 31 e 40 anos. Ou seja: são pessoas que buscam uma segunda graduação ou não conseguiram entrar na faculdade antes, por motivos diversos, e estão fazendo um curso superior para se colocar melhor no mercado.

E se você pensa que o perfil da mulher que está fazendo EAD é o da típica dona de casa, enganou-se. Pela pesquisa, a quase totalidade dos alunos de cursos a distância têm trabalho remunerado – 87%, para ser mais exato. Do total, 83% são responsáveis por bancar a própria mensalidade.

A maioria escolhe fazer EAD por causa da flexibilidade de horários e do preço mais acessível das graduações.

 

Perfil dos estudantes de EAD

A pesquisa da Educa Insights traz outros dados interessantes sobre o perfil de quem escolhe o ensino a distância. Conheça alguns:

-85% vêm de escola pública.

-Os itens que mais valorizam na EAD são o uso de vídeo-aulas, encontros presenciais e materiais didáticos.

-45% têm entre 16 e 30 anos.

-14% têm mais de 40 anos.

E quem pensa que EAD é moleza, a pesquisa vem para desfazer essa ideia. Veja alguns dados que quebram esse mito:

-66% estudam de 3 a 5 dias por semana.

-Para maior parte, esses estudos consomem entre 2 e 4 horas por dia.

-62% estudam à noite, sozinhos.

-90% dos que fazem um curso EAD estudam de casa.

Se você está em dúvida entre fazer um curso EAD e um presencial, saiba que a grande maioria dos alunos de EAD (75%) também passou pelo mesmo dilema. No entanto, quem escolheu estudar a distância está feliz com a decisão e recomendaria a instituição onde estuda para um amigo.

 

Afinal, o que o EAD tem de tão bom?

O ensino a distância é uma excelente alternativa para aqueles que preferem estudar no seu ritmo, encaixando a faculdade na sua rotina (e não o contrário).

Para se dar bem nesses cursos é preciso ter uma certa familiaridade com a tecnologia – o que também não é nenhum bicho de sete cabeças. Tudo acontece pela internet, em um ambiente próprio oferecido pela faculdade. As aulas e materiais didáticos podem aparecer em formato de vídeos, documentos e apostilas digitais, que ficam à disposição do aluno 24 horas por dia.

Essa, aliás, é outra grande vantagem do EAD: poder acessar o conteúdo na hora que for preciso, de qualquer lugar – desde que esteja conectado à internet.

Com a melhora da nossa infraestrutura de redes e banda larga, as aulas estão ficando cada vez mais interativas. Muitas vezes dá para acompanhar a transmissão ao vivo de casa e interagir com o professor como se estivesse em sala de aula.

Quanto ao diploma, pode ficar tranquilo. Ele tem a mesma validade de um diploma de curso tradicional e vai ser aceito tanto na disputa por uma vaga de emprego mais qualificada quanto para ingressar em pós-graduações ou fazer concursos públicos.

No entanto, é preciso observar se a instituição de ensino é credenciada pelo Ministério da Educação (MEC) e está autorizada a oferecer o curso. Só assim o diploma – seja ele EAD ou presencial – terá validade.

 

Quanto custa fazer um curso a distância no Brasil

Outra boa vantagem do EAD são os preços. De acordo com a pesquisa da Educa Insights, o brasileiro que estuda a distância gasta, em média, R$ 260 com a mensalidade do curso.

Esse valor é cobrado por 43% de todas as instituições de ensino superior que oferecem EAD.

Se mesmo assim você achou a mensalidade salgada, saiba que dá para fazer um curso superior pagando ainda menos. A pesquisa aponta que quase 20% das faculdades têm cursos a distância com valores a partir de R$ 150.

Já os mais caros ficam entre R$ 300 e R$ 350, na média – embora seja possível encontrar cursos que custam muito mais do que isso. O segredo é pesquisar bem.

O que faz um curso ser mais caro ou mais barato é a infraestrutura que ele exige. Graduações mais específicas, como Engenharia, tendem a ser mais caras porque usam mais laboratórios e equipamentos, demandam visitas externas, etc.

Já as mais teóricas dispensam o uso desses equipamentos e tendem a custar menos.

 

Onde posso estudar a distância no Brasil?

Antes de fazer um curso a distância, você precisa observar pelo menos dois quesitos:

  1. A instituição é reconhecida pelo MEC?
  2. A instituição oferece polo de apoio presencial próximo à sua casa? Esse item é fundamental, já que você precisará se deslocar até esses polos algumas vezes por semestre para apresentar trabalhos, fazer provas finais, participar de atividades de laboratório ou grupos de estudos. O MEC exige que no mínimo 20% da carga horária do curso EAD seja feita de forma presencial.

Muitas universidades oferecem polos de apoio presencial em todo o País, permitindo que mesmo aluno de locais mais distantes tenham oportunidade de estudar a distância.

Confira algumas instituições reconhecidas e bem avaliadas pelo MEC que oferecem cursos a distância pelo Brasil:

Universidades Privadas:

-Universidade Estácio de Sá (UNESA)

-Universidade Norte do Paraná (UNOPAR)

-Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA)

-Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL)

-Universidade Cidade de São Paulo (UNICID) 

 

Instituições Públicas:

-Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

-Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF)

-Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

-Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

-Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)

 

Veja também:

Faculdades que duram menos tempo

-Conheça as vantagens do Ensino a Distância

-Diploma EAD tem o mesmo reconhecimento que curso presencial?

 

O que achou da presença feminina no EAD? Conte para a gente nos comentários!

Deixe seu comentário:

Versão para impressão Informar erro

-

Novidades sobre EAD

Cadastre-se para receber nossa newsletter e acompanhe as últimas notícias sobre EAD:

}, 7000);