dcsimg

Como funciona uma faculdade semipresencial?

(0.0 de 0)

Conheça os tipos de faculdades semipresenciais, saiba como elas funcionam e veja também onde encontrar esta modalidade!

Como o próprio nome já indica, a faculdade semipresencial é aquela que oferece uma parte das aulas em formato presencial e a outra parte a distância.
Existem diversas formas de colocar isso em prática. As mais conhecidas são:

  • Faculdades presenciais que oferecem matérias para ser cursadas a distância.
  • Faculdades a distância que organizam aulas e eventos semanais em seus polos de apoio.

Veja como funciona uma faculdade semipresencial em cada um desses modelos.

Saiba também onde é possível estudar nesta modalidade!

Quais são os principais tipos de faculdade semipresencial?

No Brasil as novas formas de aprender, como a educação a distância (EAD), começaram a ganhar espaço há pouco mais de dez anos. Elas tiram proveito das tecnologias de comunicação para oferecer flexibilidade, acesso a formação de qualidade e ainda manter professores e alunos conectados.

De olho nesses avanços, faculdades presenciais começaram a oferecer em seus cursos algumas disciplinas a distância. Esta oferta foi regulamentada pelo Ministério da Educação já em 2004. Assim, matérias cursadas na modalidade EAD passaram a contar como carga horária normal para o aluno se formar.

O outro formato de faculdade semipresencial surgiu a partir de cursos totalmente a distância. Neste modelo, as universidades criaram uma estrutura para transmitir aulas para polos de apoio presencial ao vivo, via satélite ou por videoconferência.

Veja as semelhanças entre os dois formatos:

  • As matérias são planejadas, com roteiros de aprendizagem e materiais de referência. Este conteúdo fica à disposição do aluno no ambiente virtual de aprendizagem.
  • Os encontros presenciais periódicos são obrigatórios.
  • O aluno conta com uma equipe de tutores para acompanhar sua aprendizagem, corrigir atividades e tirar dúvidas sobre os conteúdos.
  • A avaliação final das matérias é feita obrigatoriamente de forma presencial.
  • Os diplomas de cursos semipresenciais têm o mesmo valor que os de uma graduação presencial, desde que o curso seja reconhecido pelo Ministério da Educação.

Especialistas em Educação afirmam que a tendência é de que os cursos se tornem cada vez mais híbridos. Ou seja, no futuro os cursos presenciais devem oferecer mais atividades fora da sala de aula e na educação a distância os estudantes estarão ainda mais conectados presencialmente.

Cursos semipresenciais originados de cursos presenciais

A palavra “semipresencial” pode dar a entender que o curso é metade presencial e metade a distância. Mas nos cursos presenciais que oferecem atividades EAD a proporção é diferente. O MEC autoriza oferecer no máximo 20% da carga horária da graduação presencial em atividades a distância.

Neste modelo, as principais características são:

  • As atividades didáticas a distância são centradas na autoaprendizagem.
  • Cada professor determina qual será a frequência dos encontros presenciais obrigatórios.
  • É um curso presencial, portanto 80% das disciplinas da graduação não são a distância.

Este modelo é ideal para quem busca mais flexibilidade em sua graduação presencial. Vale lembrar que as disciplinas a distância não são mais fáceis nem exigem menos do aluno. Em um bom programa EAD, o aluno se compromete a realizar as atividades, entregar os trabalhos nos prazos combinados e participar das discussões. Ou seja, mesmo a distância o aluno está presente!

Semipresenciais que surgiram de cursos a distância

Imagine que você está em uma sala de aula no interior da região Sul e seu professor está ensinando a matéria a partir de um estúdio de TV em Belo Horizonte. É mais ou menos assim o formato criado por várias universidades para a modalidade semipresencial. As aulas são ao vivo e o aluno acompanha com a sua turma em um polo de apoio.

Essa modalidade surgiu a partir de experiências em educação a distância para oferecer um contato mais frequente dos alunos com seus colegas, professores e tutores. Existem encontros presenciais periódicos, agendados com antecedência. Nos outros dias o estudante realiza as atividades pela internet.

Veja alguns destaques deste modelo:

  • O curso original é EAD. Dessa forma, não existe o limite de 20% de atividades a distância.
  • Os encontros presenciais podem ocorrer uma ou mais vezes por semana. Depende de cada instituição e curso.
  • Nas transmissões das aulas ao vivo, os estudantes têm o acompanhamento local de tutores. Também é possível interagir com o professor, que pode estar até em outra cidade.

Este formato de curso semipresencial é recomendado para quem busca uma graduação flexível, sem ter que ir todos os dias à faculdade, e que ao mesmo tempo quer manter contato frequente com sua turma e tutores. Como os encontros são no mínimo semanais, a recomendação é que o aluno escolha um polo de apoio próximo de sua casa. Assim, pode economizar tempo e dinheiro com os deslocamentos.

O diploma de um curso semipresencial vale no mercado?

Sim! O diploma de um curso semipresencial de uma universidade reconhecida pelo MEC tem o mesmo valor que o de uma graduação presencial. Com esse diploma você pode se candidatar a uma vaga na área de formação, prestar concursos públicos e fazer pós-graduações.

Vale lembrar que para obter o reconhecimento do MEC o curso semipresencial passa por um rigoroso processo de controle de qualidade, que avalia, entre outros aspectos:

  • Equipe de professores e tutores
  • Infraestrutura tecnológica
  • Projeto pedagógico
  • Capacidade administrativa da instituição

Quais universidades oferecem graduação semipresencial?

Confira agora algumas faculdades que oferecem cursos semipresenciais no formato EAD (sem limite de atividades online):

Veja também:

Diploma EAD tem o mesmo reconhecimento que curso presencial?

E então? Você tem interesse em fazer uma faculdade semipresencial? Qual o modelo mais adequado para você? Conte para a gente nos comentários!

Deixe seu comentário:

Versão para impressão Informar erro

}, 7000);