dcsimg

Maioria dos alunos de ensino a distância vêm de escolas públicas

(0.0 de 0)

Entenda esta e várias outras curiosidades sobre o crescimento do EAD no Brasil!

Maioria dos alunos de ensino a distância vêm de escolas públicas

Uma pesquisa recente revelou que a grande maioria dos alunos de cursos a distância no Brasil vieram de escolas públicas.

O levantamento também mostra uma série de particularidades desse modelo de ensino no Brasil, como rendimento dos estudantes, perfil e hábitos de estudo.

Com a popularização do ensino a distância, cada vez mais pessoas estão optando por estudar de casa, seguindo seu próprio ritmo, sem ter que gastar tempo e dinheiro com deslocamentos diários até a faculdade. É uma bela oportunidade para muita gente que normalmente não teria como bancar a mensalidade – ou a rotina – de uma graduação tradicional.

O ensino a distância está crescendo rápido no País e a tendência é que continue a acelerar o passo cada vez mais. Veja a seguir alguns dados interessantes sobre essa modalidade e o que é preciso saber para fazer um curso EAD você também!

 

Quem são as pessoas que fazem EAD hoje no Brasil?

De acordo com um estudo elaborado pela Educa Insights, a imensa maioria dos estudantes de EAD vêm de escolas públicas. O percentual apontado pela pesquisa é de impressionantes 85%.

Se considerarmos que há hoje 1,3 milhão de estudantes EAD no Brasil, podemos dizer que, desse total, 1,1 milhão veio de escola pública.

Como a pesquisa aponta que 87% (1,13 milhão) desse público tem um emprego, podemos concluir que a grande maioria dos que fazem EAD hoje no Brasil optaram por esse modelo para poder conciliar estudo e trabalho sem ter que gastar tanto com formação – o custo acessível foi um item positivo apontado por 49% dos entrevistados.

Em paralelo, o estudo apresenta outros dados interessantes. Você sabia, por exemplo, que 67% de todos os que fazem cursos a distância são mulheres? E que a maioria dos estudantes de EAD têm entre 31 e 40 anos?

E mais: 77% dos alunos EAD pertencem às classes B e C. É um número considerável, que, traduzindo em números, podemos dizer que engloba mais ou menos 1 milhão de pessoas.

 

É realmente mais barato fazer um curso a distância?

Na maioria dos casos, sim. A pesquisa da Educa Insights revela que o custo médio de uma graduação a distância é de R$ 260 mensais – um valor muito abaixo do que é cobrado por cursos tradicionais.

E se você está animado com essa possibilidade, aqui vai uma informação ainda melhor: dá para estudar até com menos. Em algumas grandes redes de faculdades é possível encontrar mensalidades a partir de R$ 150 – uma pechincha perto dos benefícios de se ter um diploma de curso superior no Brasil.

Claro que existem os cursos mais caros. Com mensalidades que vão de R$ 300 a mais de R$ 1.000, é possível encontrar opções para todos os bolsos.

Alguns fatores contribuem para a oscilação de preços dos cursos a distância. Dentre eles, podemos citar a infraestrutura necessária para fazer o curso (Engenharia e Enfermagem tendem a custar mais por causa disso), o uso de laboratórios, a reputação da faculdade, o quadro docente, etc.

 

Consigo adaptar um curso a distância à minha rotina?

A pesquisa mostra que só não faz um curso a distância quem não quer, já que dá para conciliar os estudos com praticamente todas as atividades do dia a dia.

Os estudantes de EAD, de olho nessa facilidade, já estão aproveitando ao máximo essas vantagens. Do total de entrevistados, 90% costumam estudar de casa, de 3 a 5 dias por semana, à noite. Em média, o tempo dedicado aos estudos é de 2 a 4 horas.

Ou seja, embora o EAD exija dedicação e empenho como qualquer outro curso de graduação, os estudantes dessa modalidade têm conseguido cumprir bem os requisitos.

As facilidades mais apreciadas nos cursos têm sido as vídeo-aulas, os encontros presenciais e o material didático oferecido.

 

Quero entrar em uma faculdade a distância. O que preciso fazer?

Se você está considerando fazer um curso a distância, precisa observar três pontos essenciais antes de escolher a faculdade ideal:

  1. A instituição é reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC)?
  2. O curso tem autorização do MEC para funcionar?
  3. A instituição oferece polo de apoio presencial próximo à sua casa? Esse item deve ser levado em conta, já que você precisará se deslocar até esses polos algumas vezes por semestre para fazer provas finais, apresentar trabalhos, participar de atividades de laboratório ou grupos de estudos. O Ministério da Educação (MEC) exige que no mínimo 20% da carga horária do curso EAD seja feita de forma presencial.

Se estiver tudo dentro do esperado, basta participar do processo seletivo, matricular-se e usufruir das vantagens de se estudar a distância.

Quanto ao diploma, fique tranquilo. Ele tem a mesma validade de um diploma de curso tradicional e permite ocupar vagas de trabalho que exijam curso superior, entrar em pós-graduações e fazer concursos públicos.

Lembre-se de que o diploma só é válido se for emitido por alguma instituição reconhecida pelo MEC. Fique de olho nesse quesito para turbinar sua carreira!

 

Onde fazer um curso a distância?

Muitas instituições com polos de apoio presencial em diversas partes do País oferecem a possibilidade de estudar a distância.

Conheça algumas das principais universidades reconhecidas e bem avaliadas pelo MEC que têm cursos EAD:

Universidades Privadas:

 

Universidades Públicas:

Veja também:

Veja as 7 faculdades online com menores mensalidades

 

Está pensando em entrar num curso a distância? Qual? Conte para a gente nos comentários!

Deixe seu comentário:

Versão para impressão Informar erro

-

Novidades sobre EAD

Cadastre-se para receber nossa newsletter e acompanhe as últimas notícias sobre EAD:

}, 7000);